Rogério Charraz

Cantautor

Rogério Charraz é um cantautor português, nascido em Lisboa, em março de 1978.

Desde cedo ligado à música, em 1994 formou com o amigo Rogério Oliveira a banda União de Loucos que em 1999, prestes a editar o álbum Madrigal, muda de nome para Boémia. Em 2003 é lançado o segundo álbum, Semente, com as participações especiais de Luis Represas, Luís Pastor e Fausto Bordalo Dias.

Em 2007 forma o Rogério Charraz Trio, responsável por criar versões próprias de grandes temas da música portuguesa, brasileira e africana.

Em 2010 inicia as gravações do seu primeiro disco a solo.

Em 2011 participa pela segunda vez no no Festival Cantar Abril onde vence o prémio Ary dos Santos com o tema "Pára, olha, escuta e avança".

Em outubro de 2011 lança A Chave, o seu álbum de estreia com 11 canções originais e duetos com Ana Laíns, José Mário Branco e Rui Veloso. Quatro temas integraram a banda sonora de “Pai à Força” e o "Grito Vagabundo" fez parte da banda sonora da telenovela da TVI, “Louco Amor”.

Em 2014 lança o álbum Espelho.

Não tenhas medo do escuro é o nome do álbum lançado em 2016, a que se seguiu 4.0, em 2018.

O seu trabalho mais recente chama-se O Coreto. Uma ideia de Rogério Charraz (música) e de José Fialho Gouveia (letras), que nasceu de um fascínio de longa data de Rogério pelos coretos enquanto símbolo cultural e elemento arquitetónico. Na construção deste trabalho juntou-se Luísa Sobral na produção musical.

“Quando nós formos velhinhos” já toca nas rádios portuguesas e o videoclip tem como protagonistas Ruy de Carvalho e Eunice Muñoz.