Hugo Pinheiro

Bodyboarder

Natural da Costa da Caparica.

 

Estrela incontornável do bodyboard nacional, Hugo Pinheiro vive cada momento com o máximo de intensidade.

Continuando a apostar sobretudo numa intensa carreira internacional, Hugo Pinheiro é uma referência incontornável do desporto português. 

A renovação do título de Campeão Europeu de Bodyboard em 2009, estatuto que já tinha conquistado por duas vezes no passado recente, vem precisamente confirmar este facto numa época onde mais de metade do tempo foi passado fora do país em competições ou estágios.

hugo-pinheiro.jfif

Orgulhoso de ter nascido na Costa de Caparica no seio de uma família de pescadores, aquele que já foi campeão europeu de bodyboard vê na sua opção de vida uma forma diferente de se manter ligado ao mar. Já a paixão pelo Tow Out é uma história mais recente na vida de Hugo Pinheiro: "Já tinha visto na televisão e na Internet e um dia decidi experimentar. Essa primeira sessão foi muito dura fisicamente, mas abriu-me a curiosidade para ir mais além." Ainda com tempo para fazer muito snowboard, algum surf e mergulho, Hugo está disposto a viver o seu sonho de uma forma intensa, “Quero aproveitar enquanto posso e tenho condições - posso dizer que estou a viver o momento com muita intensidade”, garante. Com a modéstia dos verdadeiros campeões, Pinheiro recorda com emoção a sua primeira conquista desportiva: “Foi um campeonato regional que teve lugar na Fonte da Telha”, relembra. No ano de 2015 estreou um documentário - Mar da Calha - sobre a exploração de uma onda que se forma na interseção do Rio Tejo com o Oceano Atlântico.

Em 2018, Hugo Pinheiro conquistou o seu quarto título nacional e voltou ao Mar da Calha para lançar um clip de ação. 2019 trouxe consigo um novo desafio para Hugo. Aos 39 anos, o bodyboarder natural da Costa da Caparica decidiu trocar o sol da sua cidade natal pela fria e inóspita Islândia, em busca de ondas por domar, com o islandês Heidar Logi e Mike Stewart, o GOAT do bodyboard. Bem, não qualquer onda: um slab, onda que repele alguns e atrai outros, que veem no medo e no desconhecido uma oportunidade. Já afastado da cena competitiva, Hugo abraça agora o lado aventureiro do desporto em que se tornou um dos melhores do mundo.